Razões para prolongar a amamentação

(0) comentários

Amamentação

Texto da Blogagem coletiva sobre a Campanha da Semana Mundial de Amamentação…
 
Agora que mais e mais mamães estão amamentando seus bebês, mais e mais estão também descobrindo que “adoram” amamentar e querem continuar a prática para além do tempo planejado inicialmente.

A Unicef encoraja que o aleitamento seja mantido até dois anos ou mais, e a Academia Americana de Pediatria incentiva que a amamentação perdure até que mãe e bebê desejem.

Mas por que amamentar para além de 6 meses?

Porque mamães e bebês geralmente sentem muito prazer no aleitamento. Por que interromper uma relação prazerosa? Além disso, o leite materno continua a proteger a saúde e bem-estar da díade mãe-filho.
Mas dizem que o leite materno não tem valor passado 6 meses…

Pode ser que você tenha esta informação, mas ela é verdadeiramente errada. Ninguém (incluindo pediatras) pode oferecer esta informação e isto só mostra o quanto nossa sociedade está mal-informada sobre aleitamento materno. Leite humano é, acima de tudo, LEITE.

Mesmo após seis meses ele ainda tem proteínas, gorduras e outros elementos apropriados e nutricionalmente importantes, necessários para bebês e crianças. Leite materno ainda contém substâncias imunológicas que protegem a criança mesmo se ela tem mais de dois anos.

De fato, algumas substâncias imunológicas do leite materno estão presentes em quantidades maiores no segundo ano de vida, do que no primeiro. Isto é evidente já que as crianças com mais de 1 ano estão geralmente mais expostas a ter infecções do que os bebês mais jovens.

Leite materno ainda apresenta fator de crescimento que ajuda no amadurecimento do sistema imune de seu bebê, ajuda no desenvolvimento cerebral, intestinal e outros órgãos em desenvolvimento.

Tem sido bem descrito por pesquisadores que as crianças em aleitamento, que vão para escolinhas, adquirem menos infecções e quando as adquirem, estas são muito menos severas do que em crianças que não recebem o leite materno. As mamães então perdem menos dias de trabalho se continuarem a amamentar seus bebês.
Mas eu quero que meu bebê seja independente…

E o aleitamento materno torna seu bebê dependente? Não acredite nisso. O bebê amamentado até que desmame sozinho é geralmente mais independente, e mais seguro nessa independência. Ele recebe conforto e segurança até que se sinta seguro e decida por si mesmo deixar de mamar. Frequentemente nós forçamos nossas crianças a se tornarem independentes muito cedo. Dormir sozinho cedo demais, desmamar cedo demais, deixar de usar fraldas cedo demais. Para que a pressa? Você quer que seu filho saia de casa aos 14 anos? Tudo acontecerá no tempo em que a criança se sentir preparada.

Possivelmente o mais extraordinário em amamentar passados dois anos não são os aspectos nutricionais e imunológicos, apesar de sua grande importância. A mais relevante é o relacionamento especial entre mãe e filho, a re-afirmação diária de amor que se repete sempre que o bebê mama, e isso continua quando o bebê cresce.

Se a criança/bebê se machuca ou fica doente, o aleitamento materno é a melhor maneira de acalmá-lo e tranqüilizar também a mamãe e a família.

Retirado de www.lactare.com

Este artigo pertence ao http://gestavida.blogspot.com/
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.

Ícone compartilhar | GestaVida Blog compartilhar
Ícone comentarios | GestaVida Blog VER COMENTÁRIOS
Autor do Post | GestaVida Blog
Escrito por:

GestaVida

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

(0) Comentários
Este artigo ainda não possui comentário. Seja o primeiro.

Inscreva-se na
Trilha da Gestante Gestavida

e receba conteúdos
feitos para você